O que consome a nossa energia?

25 de novembro de 2017

As más notícias, os pensamentos negativos, as pessoas ansiosas que se queixam constantemente à nossa volta, os locais cheios de ruído como centros comerciais... Tudo isso afeta a nossa energia, contrbuindo para que nos sintamos cansados, desmotivados, muitas vezes sem sabermos compreender porquê. Existem vários tipos de "ataques" energéticos, ou seja, de ameaças que nos fazem perder a energia. Estes podem ser psíquicos, emocionais ou físicos, conforme o seu âmbito de acção e a forma como nos atingem.

Ataques psíquicos
Aquilo que atua negativamente sobre a nossa mente, de forma consciente ou não, traduz-se num ataque psíquico, que geralmente se manifesta por uma dor de cabeça que se torna cada vez mais forte, podendo também provocar tonturas, náuseas ou até desmaios.
Os ataques psíquicos podem ser originados por causas externas ou internas.
Influência externa:
- Notícias na TV, jornais, rádio, Internet...
- Espaços públicos
- Vampiros energéticos
Os chamados vampiros energéticos são pessoas que "sugam" a energia das outras, alimentando-se dela. Os vampiros energéticos tanto podem ser pessoas mal intencionadas, que nos dirigem olhares, palavras no seu pensamento e outro tipo de acções com o intuito de nos fazerem sentir mal, como pessoas que, sem que tenham consciência disso, sugam a nossa energia positiva. As pessoas depressivas, que estão sempre a lamentar-se da sua vida ou que se agarram sistematicamente às outras a chorar, ou ainda aquelas que estão sempre revoltadas, enraivecidas, criando mau ambiente à sua volta, encontram-se entre exemplos destes casos.
Há pessoas que nos roubam a energia através do toque, como se quisessem puxar para elas aquilo que nós somos. Outras fazem-no por meio de palavras, do olhar, da sucção oral e, também, há pessoas que "falam sem falar", enviando-nos mensagens dentro da sua mente. Os ataques psíquicos que nos deixam a sentir em baixo não são apenas criados por pessoas que se dirigem especificamente a nós. Estar num sítio fechado com muitas pessoas à volta, como acontece nos centros comerciais, por exemplo, condensa as energias sobrecarregando o espaço, o que faz com que facilmente captemos as vibrações energéticas mais baixas, de pessoas que estão à nossa volta.
Por outro lado, ver uma notícia de uma tragédia no noticiário, ou qualquer outra que nos provoque choque, angústia, medo ou outro sentimento negativo é, também, um ataque psíquico, que nos deixa a sentir incomodados. O sensacionalismo que hoje rege os meios de comunicação social contribui bastante para que as pessoas se sintam mais agitadas e angustiadas, pois a empatia criada pelo impacto cria nas pessoas o receio de que algo semelhantes lhes aconteça a elas ou aos seus entes queridos, deixando-as tensas, apreensivas, com medo, o que baixa a nossa frequência energética.
Os ataques psíquicos podem também partir de nós próprios, tratando-se nesse caso de uma influência interna, que pode ser provocada por:
- Crenças limitadoras.
- Bloqueios pessoais.
- Mentalidade negativa: baixa auto-estima, baixa auto-confiança, verbalização de medos
 Neste caso, somos nós próprios quem atrai para a nossa vida energias negativas, alimentando aquilo que nos faz sentir em baixo, numa espiral descendente.

Ataques emocionais
Os ataques emocionais são semelhantes aos psíquicos mas distinguem-se sobretudo por serem motivados por um sentimento negativo em relação a nós, e também por serem uma tentativa de desequilibrar as nossas próprias emoções.
Pode ser produzido de forma consciente por uma pessoa que nos inveja, que nos roga pragas, que tem sentimentos ou pensamentos negativos dirigidos à nossa pessoa e que nos deseja prejudicar.
Pode, também, ser provocado por nós próprios, se alguém nos desperta sentimentos de rancor, ódio, desconfiança ou medo, mesmo que por momentos, baixamos a nossa frequência energética e "carregamos" de forma negativa a energia que nos compõe.
Ataques físicos
Existem ainda os ataques físicos, que se manifestam por exemplo em quedas sem sentido, como se alguém nos tivesse empurrado ou, por outro lado, que resultam de problemas de saúde tais como uma doença crónica, uma dor aguda, pequenos incidentes, fatores hereditários ou doenças congénitas que criam situações de dor e desconforto que drenam a nossa energia de forma sistemática.

Por todos estes fatores que atacam o nosso campo energético, é muito importante fazermos limpezas energéticas com regularidade para podermos libertar-nos de energias negativas que não nos pertencem e que não devemos carregar.

0 comentários:

Postar um comentário