Guia Definitivo Para Escolher Vinho Bom e Barato

8 de abril de 2018




Você está cansado de chegar nos lugares e não saber que vinho escolher? Será possível escolher sempre um vinho bom e barato? Olhar tantas opções nas prateleira e não ter a menor ideia sobre qual rótulo confiar é desanimador, não é verdade?
Essa falta de conhecimento sobre o assunto pode fazer você pensar que o único demonstrativo de qualidade de um vinho é o seu alto preço, o que não é verdade. Outros diversos fatores podem comprovar que existe, sim, vinho bom e barato.
Porém, para conseguir reconhecê-los você vai precisar de algum conhecimento prévio sobre a vitivinicultura e principalmente desenvolver o seu autoconhecimento. Afinal, a sua percepção sobre o que é bom é estritamente pessoal. Logo, mais do que um sommelier ou um especialista, só você poderá definir o que você mesmo gosta.
Sendo assim, confira agora algumas dicas para você conseguir escolher um vinho bom e barato!

vinho bom e barato(Foto: Rodrigo Denúbila)
Os vinhos caros são sempre os melhores?
Essa é uma dúvida muito comum entre os iniciantes no mundo do vinho, porém os já experientes sabem muito bem essa resposta: não. Obviamente que o preço tem a sua influência, um produto com um processo mais cuidadoso e artesanal, com uvas de mais qualidade, vai obviamente custar mais caro.
Porém, essa equação nem sempre é diretamente proporcional, ou seja, quanto mais caro melhor. Até porque, outros fatores, além da qualidade do vinho, podem influenciar no seu preço. Conheça algum deles:

Marketing

O primeiro ponto a se observar nesse sentido é que os vinhos mais caros, muitas vezes só tem o preço que tem por conta do marketing. Por ter conseguido ao longo dos anos conquistar uma imagem forte perante o público.
Essa confiança do público vai se refletir no preço, o que é justo, afinal esse rótulo se torna uma escolha segura, que não vai decepcionar.
Outros rótulos, que se perdem entre as variadas opções da prateleira por não terem um nome tão conhecido, podem ter uma qualidade muito parecida, ou até igual a um rótulo mais famoso, porém são “tiros no escuro” para o consumidor. Por isso, têm um preço mais baixo.

Região produtora

Não é preciso uma explicação muito complexa para entender o quanto a região produtora do vinho pode influenciar no seu preço. Não estamos falando aqui de tradição, que tem sua importância e certamente também sua influência, mas sim de distância mesmo.
Um vinho europeu tem muito mais chance de custar mais caro, do que um vinho argentino ou chileno, produzido aqui mesmo na América do Sul. Isso, não necessariamente por sua qualidade superior, afinal também temos excelentes vinhos por aqui.
Mas, sim pelos custos de importação gerados por um produto vindo da Europa, em relação aos de um produto advindo do país vizinho, que possui incentivos fiscais e uma distância menor a percorrer.
Logo, a chance de um vinho europeu ser mais taxado e possuir um transporte mais caro, é muito grande, o que o tornará consequentemente uma opção mais cara no mercado.
Como foi possível ver, o preço está atrelado a diversos fatores, portanto não pode servir como único indicador de qualidade. Sendo assim, cai por terra a crença de que não existe vinho bom e barato. Mas, então, como encontrá-los em meio a tantas opções? Continue acompanhando esse texto para descobrir!

Como escolher um vinho bom e barato?


Esse é o verdadeiro pulo do gato: conseguir minerar dentre as várias opções, os rótulos de qualidade mas, que ainda assim cabem no seu bolso.
Como indicamos no parágrafo anterior, vinho bom e barato existe, porém para encontrá-lo será necessário um pouco de esforço da sua parte. Nisso, está incluso um entendimento maior sobre vinhos de uma maneira geral, além de uma maior compreensão do seu gosto pessoal.
Sendo assim, confira agora algumas dicas que vão te ajudar a economizar, sem abrir mão da qualidade:

Peça dicas a amigos e especialistas no assunto

Todo mundo tem aquele amigo que leva o vinho mais a sério que a maioria, não é verdade? Costuma estar sempre degustando novos rótulos, assim como aprendendo cada vez mais sobre a matéria. É esse tipo de pessoa que você precisa trazer para perto e não deixar mais ir embora.
Uma pessoa assim pode te auxiliar bastante na hora em que você precisar fazer uma escolha, mas estiver na dúvida entre 2 ou 3 ou vários rótulos. Conviver com pessoas apaixonadas por vinho vai fazer com que você progressivamente vá entendendo mais sobre o assunto e com o tempo, se torne menos dependente delas.  
Caso você não tenha um amigo assim, não tem problema. Basta você acompanhar algum blog ou site especializado no assunto que dá no mesmo. Não faltam opções online, como por exemplo Blog Vinho Tinto.

Preste atenção ao que você bebe e anote as características do vinho que te agradar

Toda vez que você for provar um vinho novo, faça isso com atenção. Tire pelo menos um momento na primeira taça para degustar com mais calma, buscando sentir profundamente as sensações que o aroma, o sabor e a textura daquele vinho estão lhe concedendo.
Assim, você terá uma percepção mais exata do que se estivesse bebendo e conversando ou vendo TV, por exemplo.
Quando o vinho te agradar, busque anotar em algum lugar específico, que você conseguirá consultar depois, as principais características dele. Como: o nome, a safra, a região de origem, o tipo de uva. Além disso, anote também as suas impressões sobre a bebida, se achou seco, encorpado, ácido, doce, ou não, entre outras características.
Fazendo isso, você vai conseguir com o tempo ir mapeando o seu gosto pessoal. Descobrindo preferências pelo tipo de bebida, a região ou até por um rótulo específico.
Assim, vai ficar cada vez mais fácil para você encontrar um vinho bom e barato, porque você já vai saber do que gosta. Além disso, você vai criar um maior repertório de sabores conhecidos para poder ter opções de escolha.

Conheça mais sobre os tipos de uva

Saber mais sobre os tipos de uva que dão origem aos vinhos que conhecemos também é muito importante para você começar a entender melhor o tipo de vinho que te agrada. Desse modo, confira agora alguns dos principais tipos:
  • Cabernet Sauvignon: esse é o tipo de uva mais difundido entre os vinhos. Praticamente todas os países produzem algum rótulo com esse tipo de uva. Isso acontece pela fato da planta ser bastante adaptável às diferentes regiões. 

    O vinho produzido a partir dessa uva, normalmente é feito para envelhecer e ganhar complexidade. Tem um caráter marcante, com aroma e sabores bem destacados e boa proporção entre doce e ácido.
  • Merlot: os vinhos produzidos a partir dessa uva são mais delicados e leves, mas ainda assim marcantes, embora não ácidos. Têm um sabor mais frutado que o Cabernet e um teor alcoólico mais baixo também. Normalmente, não são envelhecidos por muito tempo e costumam ser misturados com outros tipos de uva.
  • Malbec: a Argentina se tornou uma especialista em vinhos produzidos a partir desse tipo de uva, embora ela seja originária da França. Gera vinhos bastante encorpados e ácidos, com uma textura aveludada muito agradável.

Opte por vinhos do novo mundo

Os vinhos do novo mundo são assim chamados em contraposição aos vinhos da Europa, que é conhecida como velho mundo.
O velho mundo mantém toda a tradição e especialização que acumulou historicamente na produção de vinhos, sendo hoje a região mais proeminente na vitivinicultura, produzindo os vinhos mais finos e clássicos. Os países europeus que mais se destacam nessa produção são: a França, Portugal, Espanha e Itália.
De maneira geral, todos os países produtores que não são da Europa pertencem ao grupo do Novo Mundo. Nele se inclui o Chile, a Argentina, o Brasil, os Estados Unidos, a Nova Zelândia, dentre tantos outros.  
Os vinhos do novo mundo costumam ser mais ousados e inovadores. Isso porque, enquanto os produtores do velho mundo ainda valorizam muito a produção mais artesanal, levando mais em conta a variação natural de clima a topografia de cada região, os do novo mundo já aceitam melhor a intervenção da tecnologia.
Isso auxilia bastante no corte de custos na produção de vinhos do novo mundo, sem que ele perca sua qualidade. Por isso, costumam ser conhecidos como vinhos bons e baratos.

10 Vinhos Bons e Baratos (Lista Atualizada 2017)

Como já percebemos ao longo do texto, a concepção do que é bom é muito pessoal. Por isso, é sempre importante para os amantes do vinho estar sempre experimentando novos sabores e assim descobrindo as suas preferências.
Portanto, para confeccionar essa lista, consideramos em relação ao preço apenas os vinhos indicados que custam em média até 50 reais.
A lista está separada em estilos para facilitar a consulta. Não se esqueça de levá-la na hora que for comprar o seu próximo vinho bom e barato para experimentar!

Vinhos Tintos

Casillero Del Diablo Reserva Cabernet Sauvignon


vinho bom e barato casillero

(Foto: Divulgação/Casillero del Diablo)

Esse é um vinho clássico e um dos mais conhecidos da Concha y Toro, a maior vinícola do Chile. O Casillero Del Diablo tem uma cor vermelho escuro forte e aromas de cereja, groselha, ameixas e um toque de baunilha. Possui taninos – substância que indica a acidez e sensação de sequidão na garganta – harmoniosos e um bom corpo.
Vai bem com carnes vermelhas e comidas muito condimentadas ou queijos maduros, como o Gruyere. O seu preço fica entre 40 e 50 reais.

La Finca Malbec
vinho bom e barato la finca malbec

(Foto: Divulgação/Emporio)
Esse é um vinho tinto argentino de corpo leve, da região de Mendoza. Entretanto, embora na Argentina os vinhos costumam ser mais robustos, esse Malbec é bem leve, com baixa graduação alcoólica e um certo azedo característico.

Por ter uma acidez moderada e taninos sedosos, o La Finca harmoniza bem com pratos com carnes assadas e grelhadas, típicas da culinária argentina. Além disso, com massas de molho vermelho. O preço fica entre 45 e 50 reais.


Danger Point Cabernet Sauvignon Merlot


(Foto: Divulgação/Wine)
A África do Sul está muito bem representada com esse tinto. O Danger Point é um frutado meio seco, com corpo médio e equilibrado. Se sai muito bem acompanhando massas ou carnes vermelhas. O seu preço fica entre 30 e 45 reais.

Vinho Branco

Argento Pinot Grigio

Vinho bom e barato Argento Pinot Grigio(Foto: Divulgação/Bodega Argento)
Com cor amarela e tons esverdeados, esse vinho branco apresenta aroma de pêssegos maduros e ervas frescas. O sabor é muito refrescante, lembrando inclusive eucalipto, e persistente.
Argento Pinot Grigio é um vinho bom e barato, que representa uma ótima relação custo x qualidade. O seu preço orbita em torno de 30 e 40 reais.

Salton Classic Riesling

  • Vinho Branco Bom e Barato Doña Dominga Old Vines Chardonnay e Sémillon Branco

(Foto: Divulgação/Vinícula Salton)
Salton Classic Riesling é uma excelente opção de vinho branco para o dia-a-dia, pela sua qualidade marcante e preço acessível. Tem um sabor frutado, refrescante e ligeiramente ácido, que deixa aquela agradável sensação de fruta na boca.
Harmonizado muito bem com carnes brancas de frangos e peixes, por exemplo e também com queijos leves. Possui um  preço fica entre 17 e 25 reais.

Doña Dominga Old Vines Chardonnay e Sémillon Branco



(Foto: Divulgação/Zona Sul Vinhos)

A mistura no mesmo vinho de uvas de origens totalmente diferente é algo típico de um vinho do novo mundo. A Chardonnay é típica de Borgonha e a Semillon de Bordeaux, mas no Chile onde o Doña Dominga é feito, elas interagem pacificamente para gerar um vinho de bom corpo e bastante aromático.
Harmoniza bem com massas e frutos do mar. E, o seu preço fica entre 25 e 30 reais.

Espumantes

Espumante Gran Legado Brut Charmat

Vinho bom e barato Espumante Gran Legado Brut Charmat


(Foto: Divulgação/Gran Legado)
Vindo diretamente da Serra Gaúcha, esse espumante nacional não deveria parar em outro lugar a não ser na sua adega ou na sua mesa. Com aroma intenso e sabor elegante, levemente ácido, o Gran Legado Brut Charmat é uma excelente opção para aquele brinde especial ou para receber os amigos em um happy hour.
É uma ótima bebida para acompanhar petiscos e canapés, podendo também ser harmonizada com queijos leves e carnes brancas. O seu preço fica entre 30 e 40 reais.

Nieto Senetiner Brut Nature
Vinho bom barato Nieto Senetiner Brut Nature
(Foto: Divulgação/Nieto Senetier)

Nieto Senetiner Brut é um espumante argentino totalmente seco, o que quer dizer que ele tem pouca adição de açúcar. Isso o torna mais sofisticado e elegante.
A bebida harmoniza bem com carnes brancas e frutos do mar. Mas, também oferecem uma experiência interessante quando contrastados com alguma sobremesa doce. O seu preço varia entre 40 e 50 reais.

Salton Moscatel
Salton Moscatel Vinho Bom Barato


(Foto: Divulgação/Salton)
Em oposto ao Nieto Senetiner Brut, esse espumante nacional da Serra Gaúcha, é doce, no estilo da categoria que mais vende no Brasil. Além disso, o Salton Moscatel é frutado cremoso e fresco, ideal para ocasiões festivas do dia-a-dia, por ser bastante acessível, o que o torna um vinho bom e barato.
Pode não agradar apreciadores mais experientes pelo seu nível de açúcar, porém é uma boa pedida para iniciantes. Ele combina muito bem com aperitivos e com doces em geral. O seu preço fica em torno de 17 e 30 reais.

Rosé

Casal Garcia Rosé

Vinho bom Barato Casal Garcia Rosé

(Foto: Divulgação/Casal Garcia)

Este é um vinho português bastante leve e que cai bem a qualquer hora. Sendo ele gaseificado, lembra até um refrigerante, o que combina bem com climas descontraídos e de convívio.
Ele pode ser servido junto com petiscos, mas é o tipo de vinho que pode até ser tomado puro, se quiser. Ele, entretanto, não tem corpo suficiente para harmonizar com o prato principal ou sobremesa. O Casal Garcia Rose possui um preço entre 20 e 25 reais.

Conclusão

Não é preciso gastar muito dinheiro para tomar um vinho de qualidade. Com um pouco de pesquisa e conhecimento você consegue encontrar vinho bom e barato, sem precisar de muito esforço.
Sendo assim, siga as dicas apresentadas neste texto e a nossa lista de indicações para você comprar os seus próximos vinhos. Lembre-se que quanto mais você experimentar, maior será o seu repertório de sabores conhecidos e o seu entendimento sobre o seu próprio gosto pessoal. Dessa maneira, com o tempo você fará escolhas cada vez mais certeiras, porque já saberá o estilo, região, tipo de uva, entre outros, que mais te agradam.
Então, agora é só escolher a sua primeira garrafa e degustar um bom vinho.

1 comentários:

Postar um comentário